Steve Jobs: One More Thing

Silueta de Steve Jobs

Filosofia e Arte na Tecnologia

Onde fica o limiar entre a existência e a eternidade? É exatamente onde o que fazemos em vida, ecoa após a nossa morte.

Steve Jobs viveu uma vida mundana. Longe de ser um guru ou exemplo de humanidade, era egocêntrico, autoritário e cheio de defeitos. Mas nem só de santos se constrói a nossa história. A determinação em quebrar paradigmas e a inovação como motor criativo, criam verdadeiras revoluções ao mudar radicalmente a modo como vivemos.

Do computador pessoal, à interface gráfica, até o smartphone e o tablet; nenhum destes produtos foi invenção direta dele, mas de que valeriam se não fossem popularizados por sua visão única e, como gostava de falar, elegante?

Steve Jobs vira lenda exatamente por isso: Ter a coragem para fazer o óbvio, ou seja, tornar mais fácil e amigável nosso dia-a-dia; criar produtos confiáveis e com qualidade superior. Introduzir arte (E por que não filosofia?) em produtos industrializados e querer ir além do que o mercado limita.

Este é o verdadeiro sentido da liberdade; pensar por si próprio e fazer o que quer e ama.

Rezemos para que parte do seu espírito desbravador inspire mais mentes à alcançar o seu maior objetivo de vida: Mudar o mundo.

Esta entrada foi publicada em Mundo, Opinião. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s