Onde está Deus?

Deus

Deus por Michelangelo

Para responder a esta pergunta, devemos ser mais precisos e questionar: Qual deus?

A resposta, vai depender de quem a responde. Existem várias opções: Yavé, Allah, Krishna… É uma lista interminável.

Você, provavelmente, me questionará e dirá: Ora… o Deus.

Bom, mas por que precisa ser apenas um? O monoteísmo se originou no Egito, no século 13 ou 14 A.C., baseado em uma reforma religiosa empreendida pelo faraó Akenathon, que decidiu adorar ao disco solar em detrimento as demais divindades do panteão Egípcio.

Desde então, diversas culturas, até então politeístas, começaram a se identificar mais ou menos com suas divindades, de maneira a adotar apenas um deus como seu fiel protetor. Outras, mantiveram a crença em panteões que representavam, em cada personalidade divina, um aspecto da natureza ou do sentimento humano, como por exemplo, os Gregos e os Romanos.

Podemos dizer que o politeísmo persiste até hoje em religiões africanas e orientais, que representam mais de 1/6 da humanidade.

Mas vamos considerar que, dentre os outros 5 bilhões de seres humanos, ainda existem os Budistas, que não possuem a figura de Deus em sua religião. Estes, são estimados em 500 milhões.

Logo, temos o novo quadro: Descontados os descrentes (sim, eles existem e são muitos) e aqueles que pela natureza extravagante de seus credos, não podemos quantificar, temos cerca de 3,5 bilhões de seres humanos que acreditam em apenas 1 Deus.

Dependendo de onde você nascer, a realidade vai ser bem diferente. Se a cultura for ocidentalizada, você será criado com valores Cristãos; Já se sua ascendência for árabe, então você será Muçulmano. Ambas as religiões possuem origem comum.

O Deus Cristão, Yavé, que originalmente era apenas uma dentre as diversas divindades dos povos nômades da Mesopotâmia, foi elevado à condição de Deus supremo, criador do Universo, pai de Jesus Cristo e uma das pessoas da Trindade Cristã.

Do outro temos Allah, que possui cerca de noventa nomes, e a princípio, foi assimilado e culturalizado pelos povos árabes, de outros povos da região, sob influência judaico/cristã inclusive. Foi codificado e conciliado por Maomé, em cerca de 610 D.C.

Em números aproximados, os Cristãos são 2 bilhões e os Muçulmanos 1,5 Bilhão.

Mas vamos um pouco mais além: Vamos dizer que, por estarmos no ocidente, nos interessemos em saber, onde está nosso Deus Cristão, que só existe para 1/3 da humanidade.

Segundo a própria Bíblia, Deus é onipresente, está em todo lugar. É onipotente, pode todas as coisas.

Se está em todo lugar, Deus está também nos confins do Universo, cerca de 40 bilhões de anos luz daqui, e, se está lá desde o início, já convive com os abismos temporais do Universo, há pelo menos 15 bilhões de anos.

Com números tão grandes, é possível se questionar a importância que nós, cerca de 2 bilhões de pessoas, temos neste imenso palco cósmico. Estamos aqui há tão pouco tempo, que, se somos tão importantes assim, tudo o que podemos imaginar, é porque Deus esperou tanto tempo para nos criar, e porque um Universo tão grande se ocupamos um espaço tão insignificante, perto do todo.

Existem aqueles que dizem que Deus é uma força. Assim como a gravidade, é impessoal, está presente em todo Universo e age de acordo com nossa percepção. Mas para direcionarmos nossas preces, precisamos acreditar que alguém as perceba. E, para que perceba, é preciso haver consciência, senão, poderíamos rezar para gravidade ou para o eletromagnetismo.

Então, para que, a existência de Deus seja comprovada, precisamos acreditar que é uma força universal, atemporal, impessoal porém consciente e… eterno. Se acreditarmos que Deus nasceu, então não poderia ser todo poderoso, teria sido criado por outra força maior.

A verdade é que, por mais que tentemos entendê-lo, nos distanciamos cada vez mais dos nossos conceitos lógicos de realidade. Deus é uma experiência pessoal? Com certeza. Cada um o concebe da maneira como melhor lhe convém. Cada um tem um deus pessoal. Muitas vezes, essa conceituação é coletiva e alinhada com ensejos locais e culturais, o que acaba gerando o subproduto religioso dentre uma comunidade.

Deus nasceu, originalmente, da necessidade do homem explicar aquilo que não entende. O problema é que, cada vez entendemos mais. Cada vez questionamos mais e a evolução da humanidade não pode ser balizada por limitações de religiões medievais, atos bárbaros de lideranças fundamentalistas e conceitos morais baseados em misticismo e ignorância.

Se existe um Deus aqui, então é arrogância nossa, acreditar que podemos sequer começar a concebê-lo. Comecemos a entender primeiro nosso papel como espécie dotada de razão e a natureza que nos rodeia. E se Deus estiver lá, um dia nos esbarraremos.

Esta entrada foi publicada em Astronomia, Filosofia, Opinião, Religião. ligação permanente.

3 respostas a Onde está Deus?

  1. Rafael Fernandes diz:

    Excelente tópico.

    Certa vez, não me lembro onde, perguntei por que Deus, que era únipresente, uniciente e unipotente, decidiu criar o universo e todas as coisas. A resposta que se segue foi a melhor até agora.

    “Para ter o que amar.”

  2. Rodrigo Coube diz:

    A melhor definição de Deus que já vi até hoje é a seguinte: Para aquele que crê nenhuma prova é necessária. Para aquele que não crê, nenhuma prova é suficiente.

    Abs,

    • Leandro diz:

      Realmente, tudo depende do ponto de vista. Para um cético, somente provas concretas o fazem acreditar; enquanto que para um crente, a ausência completa de qualquer evidência não impede sua fé.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s